Cientistas encontram mais distante conglomerado de galáxias já visto

O conglomerado de galáxias JKCS041 localiza-se a por volta de 10,2 bilhões de anos-luz da Terra, e bate o recorde anterior de distância da Terra em quase 1 bilhão de anos-luz.

O conglomerado foi encontrado ao se combinar dados do Observatório Chandra de Raios-X da Nasa (agência espacial americana), do telescópio óptico Very Large Telescope (VLT) –no Chile, operado pelo Observatório Europeu do Sul– e do Digitized Sky Survey.

Sua imagem observada é referente a quando o Universo tinha cerca de um quarto da idade atual.

Conglomerados de galáxias são os maiores objetos do Universo unidos gravitacionalmente. Encontrar uma estrutura tão grande, vista em época tão antiga, pode revelar informações importantes sobre como o Universo se desenvolveu.

“Este objeto está próximo à distância limite que se esperava para um conglomerado de galáxias”, disse Stefano Andreon, do Instituto Nacional de Astrofísica (Inaf), em Milão, Itália.

O JKCS041 foi originalmente detectado em 2006, com observações do Telescópio de Infravermelho do Reino Unido (Ukirt). A distância até ele foi determinada por meio do Ukirt, do telescópio no Havaí de parceria Canadá-França-Havaí, além do Telescópio Espacial Spitzer da Nasa.

No entanto, os cientistas não tinham certeza se era um verdadeiro conglomerado de galáxias, o que foi confirmado com os dados do Observatório Chandra.
Anúncios

Cientistas europeus anunciam a descoberta de 32 exoplanetas

Astrônomos do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês) anunciaram a descoberta de 32 novos exoplanetas orbitando em estrelas distantes em 19/10/09.

O que é mais importante, segundo o jornal norte-americano “The Washington Post”, é que os planetas foram encontrados em torno de uma variedade de estrelas, sugerindo que os planetas são comuns na nossa galáxia.

Os planetas gigantes, compostos de gases, foram encontrados orbitando em torno de estrelas “pobres em metal” (que carecem mais em elementos como hidrogênio e hélio do que outras), que até então eram considerados lugares inóspitos para a formação de planetas.

O primeiro exoplaneta foi encontrado em 1995. Com a descoberta do ESO, a contagem total de exoplanetas sobe para 400. O planeta cuja massa é mais baixa tem por volta de cinco vezes a massa da Terra. Os astrônomos esperam, algum dia, encontrar um planeta com massa e órbita semelhantes à da Terra –circundando uma estrela de modo que haja possibilidade de encontrar água em estado líquido na sua superfície.

Os astrônomos que anunciaram a descoberta de hoje usaram um espectrográfico para estudar possíveis planetas próximos às estrelas. O instrumento mede leves mudanças causadas na luz das estrelas devido à órbita de um planeta, que não pode ser observado diretamente.

Segundo o astrônomo Stephane Udry, da Universidade de Gênova, um novo instrumento está em desenvolvimento. Conhecido como Espectrográfico para Exoplanetas Rochosos e Observações Espectroscópicas Estáveis Echelle (Espresso, na sigla em inglês), “deve possibilitar a detecção de gêmeas da Terra em todos os tipos de estrelas solares, dentro de cinco ou dez anos”.

“Pessoalmente, estou convencido de que planetas estão em todos os lugares”, disse Udry.

Nasa critica Sony por site de filme sobre fim do mundo em 2012

Um cientista da Nasa (agência espacial norte-americana) condenou produtores de filmes da Sony, depois de uma campanha de marketing viral cujo teor sugeria que o mundo acabaria em 2012.

De acordo com o jornal britânico “The Daily Telegraph”, a Sony colocou no ar um site de uma organização chamada Instituto da Continuidade Humana, que “prevê” um cataclismo atingindo a Terra, daqui a três anos.

“Depois de duas décadas de pesquisa rigorosa dos melhores astrônonomos, matemáticos, geólogos, físicos engenheiros e futuristas, nós sabemos que, em 2012, uma série de forças cataclísmicas vão ocorrer no nosso planeta”, diz o site.

A página da Sony também dá detalhes sobre como as eleições para um líder mundial para pós-2012 aconteceriam, a partir do oferecimento de kits de sobrevivência e registrando pessoas em uma loteria para serem salvas.

O site promocional do filme “2012”, cujo enredo se baseia nas previsões feitas pelo calendário da civilização Maia, é estrelado por John Cusack e dirigido por Roland Emmerich (que está por trás de sucessos de bilheteria como “Independence Day” e “O Dia Depois de Amanhã”). O filme também vai incluir cenas de um tsunami, um acidente de avião na Casa Branca e a cidade de Los Angeles sendo engolida pelo mar.

Ainda de acordo com o site, cientistas encontraram o desconhecido Planeta X, que fica à margem do Sistema Solar, e que está em rota de colisão com a Terra.

Mas o site fez sucesso após centenas de pessoas ficarem convencidas de que algo terrível vai acontecer com o planeta.

David Morrison, cientista sênior do Instituto de Astrobiologia da Nasa, disse que ele recebeu mais de 1.000 questionamentos de pessoas preocupadas com as informações divulgadas pelo site.

Nos remetentes das mensagens, de acordo com ele, estão inclusos adolescentes que relataram vontade de cometer suicídio antes que o mundo acabe. Morrison disse que o site é “eticamente incorreto”. Mas Vikki Luya, diretora publicitária da Sony, rebateu o cientista. “É muito claro que este site está conectado com um filme ficcional. Isso pode ser compreendido pela logomarca do site”, afirma ela.