Formiga se reproduz sem sexo/ Ant reproduces without sex

Nem todas as fêmeas necessitam de machos para se reproduzir. Ao menos assim ocorre com as formigas amazônicas, as Mycocepurus smithii, que são capazes de se reproduzem por, acreditem, clonação! A espécie, segundo descoberto recentemente por um grupo de pesquisadores de vários países, é um estranho caso de organismo multicelular cujas fêmeas não precisam de sexo para ter crias.
Após a realização de variados testes, os cientistas comprovoram que aquelas formigas são as únicas que se reproduzem daquela forma e que as obreiras são todas estéreis, segundo artigo publicado na revista científica ‘Proceedings of Royal Society B’.

Curiosamente, as colônias de clones dependem para sua alimentação de um fungo também assexuado que está na origem do interesse pelo estudo das peculiares Mycocepurus.

Entre os testes aplicados, a líder do grupo de estudos, Anna G. Himler, da Universidade do Texas (EUA), destaca os de ADN que ao modo das ‘impressões digitais’, produziram 12 colônias diferentes de ‘M. smithii’. O resultado foi identico: todas as formigas de uma mesma colônia eram identicas genticamente a sua rainha, destaca a revista.
Anúncios

Nova espécie de aranha vegetariana/ New species of r vegetarian spide

Em estudos de campo conduzidos no México dois anos atrás, Christopher Meehan, então aluno na Universidade Villanova, dedicou seu tempo a observar uma aranha saltadora que vivia em uma acácia। A planta também abrigava grande número de formigas, já que acácias e formigas oferecem um exemplo conhecido de mutualismo – os insetos oferecem proteção à planta e em troca a acácia produz pontas de folhas saborosas com as quais as formigas podem se alimentar.

Algumas aranhas ocasionalmente se alimentam de pólen ou néctar, mas apenas como suplemento para sua dieta típica formada por insetos. Por meio de observações e análises isotrópicas, os pesquisadores observaram que a B. kiplingi prefere folhas a formigas, como alimento – especialmente no México, onde cerca de 90% da dieta do animal consistia de tecidos vegetais.

As aranhas caçam sua presa vegetal de maneira ativa. “A aranha contempla um alvo, e ocasionalmente recua e volta a observar. Depois, usar diversas manobras acrobáticas para passar pelas formigas”.

Meehan diz que o comportamento era um exemplo de exploração de mutualismo por terceiros organismos. “Está bem estabelecido que a interdependência entre as formigas e acácias permitiu o surgimento das folhas saborosas”. Seja como for, a aranha é a primeira entre as 40 mil espécies do mundo a comer praticamente só plantas. Os pesquisadores explicam que a aranha costuma fatiar e picotar as pontas das folhas de acácia e usa as quelícera, apendes fixos na boca, para mastigar.

“Pode ser que as poucas larvas que ela come tragam bactérias da flora intestinal das formigas, as quais ajudam a aranha a digerir as pontas das folhas”, diz Meehan.