Saliva de carrapato-estrela remove tumores de camundongos

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Butantan mostrou que após 42 dias, tumores de camundongos tiveram reversão completa devido ao tratamento feito com saliva do carrapato-estrela, conhecido científicamente como (Amblyomma cajennense). O tratamento já dura seis anos e os pesquisadores do Instituto Butantan, em São Paulo, estudam a fabricação de uma droga que possa ser usada nos tratamentos de câncer e no desenvolvimento de anticoagulantes.
Oficialmente se conhece apenas os efeitos nocivos do aracnídeo, como a febre maculosa (doença transmitida pela picada do carrapato-estrela). A pesquisa, que ainda não foi publicada, teve destaque no 22º Congresso Internacional da Sociedade de Trombose e Hemostasia, ocorrido em Boston (EUA).

De acordo com a coordenadora do estudo, Ana Marisa Chudzinski-Tavassi, imaginava-se que a saliva do carrapato continha alguma substância que inibisse a coagulação, isso porque o hematófago necessita do sangue fluindo para alimentar-se. A partir dessa suspeita, foi analisada a sequência de genes da glândula salivar do carrapato.
O resultado foi que a proteína encontrada na saliva poderia ser produzida em laboratório. Um pedaço do DNA analisado foi inserido em bactérias Escherichia coli, as quais passaram a secretar a mesma proteína. Mais tarde, os testes nos camundongos que receberam a proteína tiveram seus tumores revertidos por completo.

Anúncios